sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Bolívia - Copacabana e Lago Titicaca

Nosotros no Lago Titicaca
Conta a lenda que Viracocha criou o céu e a terra. Foi ele quem enviou Manco Capac e Mama Ocllo para a Isla del Sol, no Lago Titicaca. E nas águas do Titicaca nasceu a civilização inca.

Além de ser o lago navegável mais alto do mundo, o Titicaca representa a origem dos povos andinos. Para 'nosotros' é um dos lugares mais mágicos da terra.

Depois de uma viagem psicodélica de La Paz até Copacabana, chegamos na famosa cidade boliviana. Não tínhamos reservado hostel, então saímos à procura. E foi aí que aconteceu um dos momentos mais mágicos da viagem: faltou luz. E foi lindo. Imagine como é o céu num lugar que fica numa altitude de 3.841 metros acima do mar e que não tem luz nenhuma pra atrapalhar, nem lá nem ao redor? É maravilhoso! Ficamos um tempão admirando o céu, as estrelas, o infinito naquele lugar que é tão místico.

Linda paisagem na Isla del Sol
Adicionar legenda
Depois do momento mágico, partimos para o momento prático: em busca de um hostel. Ficamos num ótimo, o Hotel Utama (Calle Michael Perez 60, 3153 Copacabana). Os quartos eram grandes, limpos e tinha água quente no chuveiro. O café da manhã também era muito bom.  A cidade é bem bonitinha, com restaurantes muito bons. E tudo a um preço muito acessível. Além dos passeios de barco, é possível visitar a Catedral de Nossa Senhora de Copacabana, toda branca, imponente e mística.




O passeio que nós compramos para conhecer o Lago Titicaca e a Isla del Sol sai do porto na beira do lago. Nosso barco saiu bem cedinho e nos deixou no lado norte da ilha e fomos andando até o lado sul. A trilha não é muito difícil, mas é preciso ter um pouco de preparo por causa da altitude. A paisagem é tão linda o tempo todo que ameniza a falta de oxigênio.

Nós demoramos umas 6 horas pra chegar do outro lado da ilha. Levamos água, mas chegamos morrendo de fome e não tinha muita opção nas barraquinhas que ficam montadas perto do cais do porto. Comemos salchipapas (salsicha mais batata frita) com uma cerveja "que não estava gelada, mas que ficou na sombra o dia todo", nos explicou o vendedor. O cansaço e a fome eram tantas que pareceu um banquete pra gente.

Pegamos o barco pra voltar pra Copacabana com uma certeza: um dia a gente volta pra visitar o Titicaca e a  Isla del Sol. Dormir por lá, aproveitar mais esse lugar tão incrível.

Deixando a Isla del Sol pra trás
Quando chegamos no vilarejo, já estava quase na hora do por do sol e a gente ficou tomando umas cervejas na beira do lago, admirando aquela imponência toda e esperando pelo sol se por. Lindo! Ficamos bebinhos e voltamos para o hotel pra descansar um pouco. 

Saímos de novo umas 22h pra jantar e nos deparamos com uma festa popular muito bacana pra comemorar os 400 anos de La Paz. Era tipo uma procissão cívica. Jantamos uma deliciosa "trucha" e começamos a seguir a multidão. Paramos junto de um pessoal que estava tocando violão ao redor de uma fogueira e ficamos ali. 

De repente, um copo com uma bebida alcoólica desconhecida começa a ser passada de mão em mão e todos tomando. Na minha vez, eu tomei também! E aí a festa começou de verdade. Ficamos loucos com aquela cachaça dos Andes e depois de muito conversar, cantar e nos divertir voltamos para o hotel, para o sono dos justos.


No dia seguinte, pegamos nosso ônibus para PUNO, nossa primeira parada no Peru. Do lado peruano do Titicaca, visitamos as ilhas flutuantes dos Uros, mas esse será um relato a parte. Continue acompanhando nossas aventuras e desventuras! :)


Por do sol no Titicaca, o lago

Procissão Cívica pelos 400 anos de La Paz


Leia mais:



*Todas as fotos são de Neblina Orrico/Ruthiere Carrijo. Peça autorização para usar. Obrigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário