segunda-feira, 1 de abril de 2013

Chaltén - Patagônia Argentina - Argentina - parte IV

El Chaltén - a cidade dos trekkers
Em meados de janeiro de 2012, chegamos a Chaltén, 4ª cidade a visitar na Patagônia, para conhecer um dos lugares mais procurados no mundo pelos praticantes do Trekking. Realmente o lugar é INCRÍVEL. Logo na chegada, quando paramos em um Centro de Recepção ao Turista - parada obrigatória para recebermos orientações importantes de como nos comportar naquele paraíso - já avistamos os belíssimos cerro Torres e o monte Fitz Roy.





A população da cidade não passe de mil habitantes no inverno.
A cidade, fundada para marcar território, pois está situada bem na fronteira com o Chile, é na verdade um povoado. Bem pequenininha mesmo. Em qualquer lugar que se hospedar, estará bem localizado.

Sempre que viajamos, buscamos descobrir a melhor comida/bebida/bar/restaurante e foi em Chaltén que encontramos o melhor bar da Patagônia, La Cervecería. Esse resto/bar/buteco possui um clima fantástico, um chopp artesanal na medida e comidas sensacionais. Ficamos na cidade por 4 noites, todos os dias estivemos lá para apreciar cada opção do cardápio. E não nos decepcionamos. Comemos locro, lasanha de beringela, saladas, um caldinho de verduras que ELAS servem de entrada.. ELAS... as garçonetes, realmente, foram... muito atenciosas.


Ao fundo o Cerro Torre - tempo total de ida e volta: 7h
Bom, fomos lá também pra fazer longas caminhadas e começamos pelo Cerro Torre. Para qualquer lado que se aponte em Chaltén, estamos diante de um quadro magnífico, então, falar sobre a beleza do lugar seria muito repetitivo. As trilhas são todas bem demarcadas, não é necessário guia, não se paga para entrar no parque que está logo ali, no final de qualquer viela. O trekking para o Cerro Torre foi puxado, mas estava no nosso nível de preparação. Num mapa que entregam no centro de atendimento ao turista, pode-se encontrar a distância a ser percorrida, o tempo médio gasto, além de outras informações. O passeio ao Cerro Torre leva o dia inteiro.


Monte Fitz Roy e Laguna de Los Tres - Inolvidable
Pesado mesmo foi a caminhada para o monte Fitz Roy. Nunca fiquei tão exausto quanto naquele dia de céu limpo, muito sol e paisagens inesquecíveis. A caminhada até a base do monte, onde se encontra a laguna de los tres, leva em média 4h30, sendo que na última hora se caminha por uma lonnnnga subida. Acho que a gente deve subir verticalmente uns 300 metros. Quando se pensa que está chegando, ainda falta uma subida final que é compensada, em muito, pelo espetáculo daquele azul  único da laguna. Lá em cima, bem lá no alto, estamos ao pés do céu e com um visual incrível que engloba o próprio cerro Fitz Roy, as lagoas Sucia e de los tres e uma visão panorâmica de outras lagoas e um vale onde se encontra o povoado de Chaltén.


Última parte da subida antes da Laguna de Los Tres
Início da trilha ao Fitz Roy

Voltamos à cidade cansados, mas com o espírito renovado. Cheguei no povoado e fui direto ao El Mito - único bar/mercearia que fica aberto o ano todo - e pedi uma heineken... ufa. Inclusive é lá que se encontra a cerveja mais barata de Chaltén, além de encontrar outros trekkers contando suas histórias. Depois do El Mito, uma ducha e rumamos em direção ao melhor boteco de Chaltén.

No outro dia meu joelhos doíam, não aguentava andas mais do que.... 5 km. Então partimos para o Salto del Chorrillo - uma cachoeira bonita (não é uma cachoeiras do cerrado, mas é uma bela cachoeira da Patagônia). Passeio tranquilo, curto, caminhada rápida e ótima para se recuperar do dia anterior. Mesmo no verão a água é geladíssima. Enrolamos o dia todo nesse passeio e quando voltamos ao povoado, adivinha (?), fomos a La Cerveceria nos despedir das.... deliciosas.... comidas... e cerveja artesanal.


Salto del Chorrillo - um dia de descanso em águas geladas
Existem outros vários passeios a serem feitos, mas o nosso tempo era curto e os dias em Chaltén tinham se acabado. Antes do fim. Deixamos para comprar nossa passagem de Chaltén para o aeroporto em cima da hora e não deu outra, não tinha mais passagens. Corremos atrás de uma outra forma de se chegar ao aeroporto com um personagem israelense que encontramos por lá... andamos o povoado inteiro (o que não é grande coisa) atrás de um jeitinho e deu certo. Existe uma agência "caseira" que faz o traslado entre o povoado e o aeroporto por um preço mais salgado. E fomos.


1º Plano: Lindeza -  2º La Cervecería

Onde ficar: acabamos nos hospedando no Hotel Poincenot sem querer, mas querendo... foi assim: eu reservei o La Aldea, mas quando cheguei lá o hotel teve um problema e nos hospedaram no Poincenot. Que ótima mudança. O Hotel é muito bom, confortável, tudo novinho, um banheiro gigante, quarto ótimo, staffs super receptivos e fica pertinho do melhor buteco/ resto/ bar/ pub da Patagônia. Pra sempre Chaltén. 

Hotel Poincenot - excelente opção de hospedagem em Chaltén

Leia mais sobre nossa aventura pela Patagônia:



*Todas as fotos são de Neblina Orrico/Ruthiere Carrijo. Peça autorização para usar. Obrigado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário