terça-feira, 15 de julho de 2014

O Rio Araguaia e as belas praias no meio do cerrado

Praia, sombra e água fresca: teve bão!

Indo para o acampamento, 15 minutos de barco
Quem disse que no Goiás não tem praia? Todos os anos, principalmente nos meses de junho, julho e agosto, as praias do Rio Araguaia - Rio das Araras ou Rio do Papagaio Manso, no dialeto Tupi - recebem milhares de visitantes para aproveitar o "verão" goiano.

Agora em julho, tivemos a felicidade de ficar 9 dias acampados num rancho maravilhoso na beira do rio, em um dos pontos de maior beleza do Rio Araguaia, as praias formadas perto de Luiz Alves, distrito da cidade de São Miguel do Araguaia, no norte de Goiás, divisa com o Mato Grosso.

Papai e Duninha
Luiz Alves fica a cerca de 580 km de Brasília e dá pra chegar lá de avião, helicóptero (só é preciso ter grana!), ônibus ou carro. Você pode encontrar mais informações aqui.
Nós fomos de carro de Brasília até a cidade de Porangatu, no Goiás, pela BR-153, e depois passamos pela cidade de São Miguel do Araguaia até chegar a Luiz Alves pela BR-080. Da cidade até o acampamento, só de barco. Se você não tiver um, pode pegar um "táxi-barco" dos nativos que ficam atracados no porto da cidade.
Pôr do sol (foto de Alessandra Abrantes)

Mais pór do sol
Nosso acampamento foi muito bem organizado pelos amigos Luiz Lima e sua mulher Daniela Abrantes, que antes do início da temporada, foram lá escolher o local e contratar a mão de obra para construção do rancho, banheiros, enfim da estrutura que tão bem nos recebeu.

A questão ambiental é levada muito a sério pelos nativos e pelos visitantes. Barcos do Ibama, ICMBio, Bombeiros e Polícia Ambiental percorrem o rio e visitam as praias oferecendo orientações aos turistas e multando quem descumpre a lei. Somente os ribeirinhos estão autorizados a erguer as construções e vender iscas vivas, por exemplo. Dessa forma, preserva-se um pouco mais o Rio Araguaia que tantas belezas nos proporciona. 
Cachara


Para acampar nas praias formadas na beira do rio, os órgãos de meio ambiente exigem o cumprimento de normas como: não utilizar madeira nativa da região, não caçar, não pescar sem licença dos órgãos ambientais, não soltar fogos, construir o banheiro afastado da margem do rio pelo menos 30 metros e levar todo o lixo produzido no acampamento para a cidade. No auge da temporada, um barco coletor de lixo passa diariamente nos acampamentos recolhendo o lixo e deixando sacos de plástico para facilitar a coleta.

Pés na água, muito bom!
Nosso rancho não era na praia principal de Luiz Alves, onde está o "agito" com barracas de barzinhos e até um palco para shows. Optamos por uma praia um pouco mais distante, a 15 minutos de barco do centro da cidade, e fomos muito felizes. Só tínhamos nós nessa praia e deu pra relaxar e aproveitar o momento natureza - pé na areia - peixe frito - caipiroska de maracujá.



Valentina e Duna aproveitando a areia da praia
Nosso acampamento pé na areia
A pesca é permitida, mas é preciso tirar uma licença, e os peixes só podem ser pescados para consumo no local. Os pescadores também tem de observar as regras em relação ao tamanho dos peixes, não podem usar redes, tarrafas ou pesca predatória.

Nossa viagem ficou ainda mais especial por conta da Lua Cheia, redonda e brilhante que iluminou nosso acampamento. Também tenho que lembrar dos quitutes maravilhosos preparados pela cozinheira, dona Divina, que engordou a todos com pratos memoráveis.

Nosso rancho na beira do Rio Araguaia


*Todas as fotos são de autoria de Neblina Orrico/Ruthiere Carrijo. Peça autorização, antes de usar. Obrigado.

2 comentários: