quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

Morro de São Paulo com a família - como chegar e conhecer uma das ilhas mais paradisíacas da Bahia



"Socorro, tô no Morro!" e "Morro de Saudade" são alguns dos dizeres que os turistas aprendem e podem levam pra casa de lembrança, na memória ou estampado na camiseta, depois de visitar Morro de São Paulo, na Bahia. 

Morro é uma ilha que oferece belas praias e faz parte da turística Costa do Dendê. Em novembro de 2015, passamos 8 dias nesse paraíso, aproveitando dias ensolarados, alternando praia, drinks deliciosos, preguiça, piscina e muita caminhada pelos morros de Morro.

Voamos de Brasília para Salvador (1h35) e depois pegamos uma van (transfer) no aeroporto que nos levou por terra até o Atracadouro em Valença (3h30), onde pegamos uma lancha rápida que nos levou até Morro em 15 minutos, no máximo. 

Na volta, optamos por fazer parte do trecho da viagem de Ferry Boat, o que foi mais divertido e mais rápido. Também dá pra fazer o translado de Salvador para Morro de Catamarã ou de avião, mas no último caso também é preciso pegar a lancha rápida para chegar na ilha.

Piscina natural que se forma durante a maré baixa


Morro de São Paulo faz parte do município de Cairu (um dos dois municípios-arquipélago do Brasil), assim como os povoados de Garapuá, Gamboa e Galeão  
Calçadão na terceira praia

Em Morro existem cinco praias: a Primeira praia, a Segunda praia, a Terceira, a Quarta praia e a Quinta Praia ou Praia do Encanto. Difícil, né!? As melhores para tomar banho são a segunda e a quarta praias. Pelo menos, pra gente foram essas duas as "escolhidas". 

O agito de Morro fica na Segunda praia, onde estão localizados a maioria dos bares e das pousadas. Ali também você vai encontrar a maior parte da infraestrutura de praia, como guarda-sóis e ambulantes vendendo comidas e bebidas.

Na Quarta praia, a maior atração são as piscinas naturais. A praia é bem calma e na maré baixa é uma delícia! Ficamos mais no início da Quarta praia, que é bem extensa - tem cerca de 8 quilômetros. Logo no início, dois restaurantes oferecem a estrutura necessária para beber alguma coisa e petiscar ou almoçar por lá mesmo.         
                           
Piscina da Pousada Villa dos Graffitis
Nossa hospedagem surpreendeu, numa pousada chamada Villa dos Graffitis. Fica a 50 passos da segunda praia, com a vantagem de ser muito tranquila. Quarto muito bom, grande, com um bom banheiro. Piscina, Jacuzzi ao ar livre (uma delícia), e um café da manhã bem diversificado. O pessoal é super simpático e atencioso. Aprovado!

A noite oferece atrações para todas as idades! Solteiros, casais sem filhos e famílias inteiras podem desfrutar das comidinhas e bebidas vendidas por ambulantes, dos bares ou dos restaurantes que ficam à beira mar ou no calçadão que leva até o centro antigo do povoado. Festas que duram a noite toda também acontecem na praia ou nas boates, para ficar informado, basta perguntar para os locais.




Banho de argila orgânica

Não fizemos o passeio que dá um volta completa nas ilhas, mas todos que fazem dizem que vale muito a pena. Nós escolhemos pegar o barco para ir até Gamboa e foi sensacional. 

Nosso guia foi o Zoi. Gente boníssima. Prometeu e cumpriu. Passeio tranquilo, o barco foi tranquilamente sem deixar ninguém mareado, o capitão foi gente boa, fazendo tudo com calma. Fizemos algumas paradas e o Zoi garantiu que todos dessem pelo menos um mergulho nos lugares lindos onde paramos. 

Descemos primeiro numa prainha deserta de águas cristalinas e azuis para dar um mergulho. Em seguida, fomos até o banho de argila já na praia da Gamboa, onde é possível se melecar todo com uma argila colorida que sai do paredão de rochas. Aqui fica uma fotógrafo muito gente boa oferecendo tirar foto da sua "tchurma", revelar e colocar num imã de geladeira pra você. Tudo por R$ 10. Vale a pena. O nosso ficou massa.

Depois, mais uma volta de barco até uma ilha no meio do mar, só de areia, que se forma durante a maré baixa. Delícia de banho e voltamos para o povoado de Gamboa para comer uma das comidas mais deliciosas da viagem. O almoço você deixa encomendado e paga um preço justo. Gostamos muito. Esse passeio valeu super a pena e custou R$ 30 por pessoa. 


No café que fica dentro da Pousada Passárgada
Para ver um pôr do sol especial
Linda como a luz do sol

Quer ter uma experiência incrível assistindo um lindo por do sol num lugar super alto astral? Vá para o café que fica dentro da Pousada Passárgada. Estivemos lá duas vezes, admirando o lindo pôr-do-sol, tomando um delicioso café da tarde, tudo isso ao som do Bolero de Ravel. O melhor de tudo: você não paga nada para entrar.

As outras opções são um café/bar/boate chamado "A toca do morcego" (esse cobra entrada), o portal ou a praia. O importante é achar um lugar que te agrade e aproveitar!

Dicas:

- os turistas têm de pagar uma taxa para a prefeitura para entrar na ilha, no nosso caso, foram R$ 15 por pessoa;

- ao desembarcar na ilha, você pode contratar carregadores de mala para te levarem até a sua pousada. Eles cobram de R$ 10 a R$ 15 por bagagem. Vale a pena, pois dependendo de onde você estiver hospedado, vai ter de enfrentar muitas subidas e descidas;

- Se você tiver, leve máquina fotográfica à prova d'água e máscaras de mergulho, existem muitos pontos legais para ver peixinhos nas piscinas naturais que se formam nas pedras;



Leia mais sobre nossas aventuras na Bahia:


Nenhum comentário:

Postar um comentário